domingo, 14 de fevereiro de 2010

Tempo


Este precioso componente não espera por ninguém, nunca atrasa, nunca adianta, porém nunca deixa de aparecer.
“Tudo acontece no seu tempo.”; “Temos que dar tempo ao tempo.”; “Estou sem tempo.”; “Tempo é dinheiro.”, etc.


O tempo não pode ser compreendido, analisado ou mudado... O tempo simplesmente faz o trabalho dele, trabalho que já faz há muito tempo.
Quando nos referimos à tempo podemos falar em diversos sentidos. Hora, minuto, segundo, ano, mês, dia, noite, chuva, sol, vida. “O tempo de uma vida.”


Escrevendo esse texto passei o tempo, talvez ao ler este texto você possa pensar que foi uma perda de tempo. O fato é que é tempo. Não pode ser comprado ou resgatado.
Quando alguém morre é comum dizer que o seu tempo foi dado, mas não podemos dar aquilo que não temos, seria como segurar vapor com as mãos.


Então se não possuímos o tempo, ele é que nos possuí? Talvez, somos escravos do tempo, da hora, do relógio. Vivemos regrados em rédeas, rédeas essas que quem puxa é o Tempo. Alguns vivem em conjunto com o tempo, outros vivem pelo tempo, outros vivem sem o tempo...


Pensar sobre o tempo leva um bom tempo e não importa quanto tempo nos esforcemos para compreender o tempo, nunca haverá tempo que seja tempo o bastante para que cheguemos numa conclusão e dizermos para quê serve o “Tempo”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário