quarta-feira, 14 de abril de 2010

Olha a cabeleira do Zézé!

Será que ele também encontrou uma péssima cabeleireira? Sim! Aff!Achou que o post era sobre outra coisa, né? Safajenhos! (risos)

Pois é... Eu durante um tempo cortei eu mesmo o meu cabelo, porém não incentivo ninguém a fazê-lo, é um processo cansativo e muito, eu disse MUITO arriscado, porém o resultado se der certo é completamente satisfatório!

Cortar seu próprio cabelo não é nenhum bicho de sete cabeças, mas não é um mar de rosas. Se o seu cabelo ainda for liso igual ao meu... Ta lascado...
Enfim. Sou sempre a favor de cortes estilosos e criativos, mas vamos combinar, a gente vê cada porcaria por aí... Benza Deus.

Eu dou muita preferência a cabelos longos, principalmente com as meninas. É um charme a mais. Eu há um tempo também tinha longas madeixas, mas como a minha briga eterna com o meu cabelo estava acontecendo mais uma vez na época, achei que era hora de mudar e cortei-o.

Eu adoro mudar meu cabelo, faço sempre que posso e na medida que posso.
A cabeleireira que corta meu cabelo (às vezes) simplesmente morre de medo das explicações dos meus cortes. (kkkk) Minha mãe então nem se fala...

Mas não é nada de mais... Tem coisa bem pior.

Acho que o cabelo constitui parte da personalidade e humor da pessoa. Há dias que estamos com cabelos mais rebeldes, mais comportados, certinhos, repicados, tingidos, alisados, frisados, com gel, com mousse... uffa e por aí vai.

Independente (e “independenpente”) de como seu cabelo for assuma-o! Faça loucuras, ouse pinte, corte e mude. Mas aproveite enquanto ainda tem cabelo, pois o dia que eles começarem a cair...

Nenhum comentário:

Postar um comentário