domingo, 14 de fevereiro de 2010

Filho?! Ajuda a mamãe...


Uma vez quando eu tinha uns 7 ou 8 anos em uma noite, eu e minha mãe estávamos brincando de esconde-esconde.
Eu terminei de contar e fui procurá-la. E quando eu a achei... Ela estava lá, de quatro entre o sofá e a parede, entalada.


“Filho, ajuda a mamãe sair daqui.”, eu sempre fui uma boa criança e a ajudei a sair de lá assim que eu me acabei de rir daquela cena.
Por nossa existência passamos por poucas e boas e presenciamos coisas impagáveis. Situações engraçadas ou sérias, as pessoas nós temos cenas que ficarão gravadas em nossas mentes até o fim de nossas vidas.


Ao contarmos um “causo”, contamos como se aquilo tivesse acabado de acontecer, principalmente se é algo que nos marca muito.
É curioso como às vezes cheiros, sensações ou objetos nos remetem à lembranças que passam em nossas cabeças, como um “flash back”.


Eu simplesmente adoro ouvir histórias antigas de quando meus avós e pais eram pequenos e como a vida era diferente naquela época, as loucuras que eles aprontavam, as aventuras por que passavam... E eles contam com um brilho em seus olhos, um brilho que me diz que: “Lembrar e relembrar é viver.”


Qual é a história que te traz lembranças? Boas ou ruins.

Nenhum comentário:

Postar um comentário